95% dos brasileiros se sentem a dor de todos os dias – um Guia de medicamentos.

No mundo das moléstias mais comuns que se encontram nas costas (92%), lombar (87%) e pescoço (86%)

Noventa e seis, para os brasileiros, que já sentia um pouco de dor no corpo, e 95% tem dor de todos os dias, conforme aponta a pesquisa Global de Pain Index o ano de 2018, o encarregado da GSK. Apesar de que a intensidade da reação à dor de ser muito particular, pode-se dizer que o que tem afetado a vida cotidiana da maioria de todo o mundo. Além disso, segundo o estudo, que ouviu de 24 mil pessoas em 24 países, quatro de cada cinco dos entrevistados em todo o mundo, que se sentem melhores pessoas, quando não se sente a dor.

“As dores que afetam o dia-a-dia, as pessoas de diferentes maneiras. Há que estar mais estressado, não pode se concentrar no trabalho ou em outras atividades. E Como vivemos em uma rotina cada vez mais e mais trabalhos, no trabalho, no cuidado dos filhos, da casa, e a ela mesma, à dor e não deve ser um obstáculo”, explica o diretor médico da GSK Portugal, Dra Ana Santoro.

Veja Mais

APÓSo Dispositivo para a aplicação de hormônio do crescimento, que chega à Argentinao Mercado deWalgreens Alliance Boots, que tem uma das receitas de vendas e queda de rendimentodo Mercadodo Congresso sul-americano que analisa o uso medicinal da maconha

No mundo, as dores musculares são as mais frequentes (95%), que compreende a dor nas costas (92%), dor lombar (87%), pescoço (86%) e os ombros (83%). No entanto, para falar sobre a dor, no entanto, não é um tabu, e quatro em cada dez dos entrevistados, e a metade deles, a dor é uma coisa muito pessoal, o que torna difícil falar sobre este tema.

As Opções de tratamento para a dor

“O mais comum é que as pessoas que optarem pela medicação para aliviar a dor, tais como a base de dipirona ou pessoa e, às vezes, ir ao médico, a menos que o sintoma de que, se se prolonga por muito tempo, ou seja incapacitante. No entanto, é necessário lembrar-se de que dispõe dos medicamentos no emulgel, que são pelo menos tão eficazes como os tablets”, disse Dra Ana Santoro.

De acordo com um estudo clínico realizado pela GSK, foi demonstrado que o CataflamPro, por exemplo, que tem a última versão Emulgel em 1%, com a mesma eficácia que a de um comprimido de ibuprofeno. Ao ser aplicado diretamente no site da dor, da CataflamPro que não têm efeitos colaterais no fígado, além de proporcionar um alívio mais rápido.

Fonte: Guia de medicamentos.

Foto: Shutterstock

O Uso consciente de antibióticos para entender os benefícios e os riscos de

Compartilhar: