A pesquisa aponta percepção positiva da terceira idade – Guia da Farmácia

Estudo da CNDL e do SPC Brasil indica que boa parte dos entrevistados tem o orgulho de suas realizações e sentir-se jovem para desfrutar da vida

O aumento da população idosa, que deve triplicar nas próximas quatro décadas no País, impõe uma série de desafios para a sociedade. Para entender como os idosos vêem essa fase da vida, a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), realizaram uma pesquisa, em todas as capitais, com a população acima dos 60 anos. A pesquisa revela que, de cada dez entrevistados, oito (82%) se enfrentam para a terceira idade de forma positiva, e atribuem, em média, a nota oito para o grau de felicidade com o momento atual. Os sentimentos positivos que os entrevistados mais experimentam nesta fase da vida que são a tranquilidade (36%), felicidade (30%), disposição para realizar atividades do dia-a-dia (22%), independência (20%) e a produtividade para manter-se activos (20%). Há ainda 18% das pessoas idosas que são considerados saudáveis e 12% das que têm planos para o futuro.

A pesquisa mostra que, ao contrário de décadas atrás, pertencer à terceira idade hoje em dia não significa, necessariamente, sentir-se velho. De modo geral, 75% dos idosos atribuem a esta etapa da vida, características positivas como ter mais sabedoria (40%), orgulho das próprias realizações (37%) e a sensação de dever cumprido (35%). Embora 42% dos entrevistados não tenham respondido o quanto esperam viver, a expectativa entre os que responderam é de 90 anos, em média.

O avanço do tempo é visto com naturalidade por muitos, sem que haja uma obsessão por aparentar uma idade que não corresponde à realidade. Prova disso é que 58% não se sentem desconfortáveis ao perceber os efeitos do envelhecimento. Além disso, 81% mostraram-se pouco dispostos a gastar tudo o que têm em troca de uma aparência mais jovem e 80% disseram que não fazer nenhum tipo de tratamento para retardar os efeitos do envelhecimento. Além disso, de acordo com o estudo, 61% afirmam sentir-se jovens para aproveitar a vida, enquanto que 38% reconhecem ter sofrido algum tipo de discriminação por não ser tão novo.

Também existe uma clara preocupação com a auto-estima e experiências que cumpram o tempo de maneira gratificante. Indagados sobre o que fazem para se sentir bem, 44% dos adultos mais velhos procuram se alimentar de forma saudável, 37% tingir o cabelo, 36% procuram visitar regularmente o médico e 31% controlam o peso. Em contrapartida, 17% afirmam não fazer nada a este respeito.

52% têm dificuldades em encontrar produtos para a terceira idade

Dados da pesquisa também revelam o significativo potencial de consumo ainda inexplorado pelo mercado em relação a essa parcela de brasileiros. Mais da metade dos entrevistados (52%) considera difícil encontrar algum produto específico para a terceira idade, principalmente alimentos próprios para a faixa etária (17%), sites para sair, que tenham público da terceira idade, como bares, restaurantes e discotecas (16%), aparelhos celulares com letras e um teclado de tamanho (15%) e vestuário (12%). Outros 37% concordam que há poucos produtos voltados para o público da terceira idade.

Já 45% mencionam não comprar alguns produtos ou serviços que sentem vontade por encontrar dificuldade na contratação de crédito que facilite a aquisição. Em relação aos lugares que mais costumam fazer compras, 48% mencionaram que ir com mais frequência do que as farmácias e drogarias, 36% em lojas de rua ou de bairro e de 36% em lojas de departamento. Quanto aos aspectos a serem melhorados, os estabelecimentos, os entrevistados destacaram o bom serviço (48%), rótulos de produtos que são fáceis de ler (33%), bancos para descanso (32%), boa iluminação (27%) e embalagens mais fáceis de abrir (26%).

Metodologia

Foram entrevistados 612 consumidores com idade acima de 60 anos, de ambos os gêneros e de todas as classes sociais, nas 27 capitais brasileiras. A margem de erro é de 4,0 pontos percentuais num intervalo de confiança a 95%. Baixe o texto completo da pesquisa em https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas.

Fonte: SPC Brasil

Foto: Shutterstock

Compartilhar: